Nota da Assembleia do dia 08/08

                      Nesta manhã dia  08/08 a categoria dos profissionais da educação do município de Goiana-PE reuniram se em assembleia, que ocorreu no Milênio. Logo na abertura, Messias, presidente do Sinpromg comentou acerca dos últimos acontecimentos ocorridos no município, especificamente na divulgação pública do executivo acerca do reajuste da categoria, sendo 20 % para os professores e 10 % para os demais profissionais da Educação, recordando a toda categoria que este discurso do executivo municipal não é aleatório, mas sim, baseado na luta e insistência de todos os profissionais da educação ao longo desses 03 (três) anos. Ainda foi apresentado que devido ao pedido de exoneração coletiva dos secretários da prefeitura de Goiana, o diálogo foi prejudicado, porém os representantes do Sinpromg estão em permanente contato com os dirigentes que continuam a frente das pastas do planejamento, financeiro, administrativo, e a própria Educação para que as demais reinvindicações sejam cumpridas (retroativo, auxilio-transporte/vale-transporte, progressões e cumulativos). A expectativa é que até o final da próxima semana, segunda quinzena de agosto, o Sinpromg divulgue informações mais detalhadas acerca do aumento salarial, e dos outros pontos ainda não cumpridos da pauta de reinvindicação.  Em seguida, todos os presentes foram novamente informados que no dia 09/08 haverá o seminário dos servidores administrativos da educação, e que será preciso que todos aqueles que tenham interesse façam a inscrição antecipada na sede do sindicato (sendo limitado dois funcionários por cada escola); e que no próximo dia 10/08, seguindo a pauta nacional de paralisação, a categoria de profissionais da educação estará aderindo ao movimento.

                       O último item discutido por todos foi à deliberação da categoria em permanecer em ESTADO DE GREVE, mas, retornando as atividades normais, acabando com o meio expediente  em cada unidade escolar e administrativa, este, posicionamento se mantem até que as demais reinvindicações sejam discutidas e deferidas pelo  executivo municipal. Inclusive a categoria não acatará reposição de horas-aulas possivelmente devidas, sem que a Secretaria de Educação elabore um calendário de reposição contemplando todas as turmas que se encontram sem professores, bem como, os 20 (vinte) dias que os estudantes ficaram sem aula após término do recesso por motivo de não ser dado o cumulativo aos professores.